Notícias » Brasil

Pandemia fez com que 650 mil crianças deixassem de ser matriculadas no ensino infantil

Os dados foram divulgados pelo Censo Escolar na última segunda-feira, 31

Redação Publicado em 01/02/2022, às 10h02

Na imagem ilustrativa, criança pinta desenho com giz de cera
Na imagem ilustrativa, criança pinta desenho com giz de cera - Imagem de ponce_photography

O número matrículas de crianças no ensino infantil no Brasil foi reduzido em 7,3% durante a pandemia de Covid-19, o que significa uma queda de 653 mil entre 2019 e 2021.

Os dados são do Censo Escolar, promovido pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), e foram divulgados na última segunda-feira, 31.

Segundo o portal de notícias G1, desde o ano de 2005, o país registrava aumento constante das matrículas nessa etapa de ensino. Contudo, com a pandemia, houve queda de 9% na procura por vagas na creche e de 6% na pré-escola.

Conforme a fonte, a rede privada foi a maior responsável pela redução, tanto nas creches, com diminuição de 21,6%, quanto na pré-escola, com 25,6%.

No caso da rede pública, que é responsável por 59% das matrículas em creche, houve queda de 2,3% na primeira fase do ensino. Na pré-escola, a redução foi de apenas 0,1% nos dois anos de pandemia.