Notícias » Vaticano

Papa autorizou gastos de 1 milhão de euros para libertar freira em cativeiro

Declaração foi feita pelo cardeal Becciu em meio a investigações no Vaticano, veja

Redação Publicado em 06/05/2022, às 07h56

Papa Francisco, líder da Igreja Católica
Papa Francisco, líder da Igreja Católica - Getty Images

O papa Francisco aprovou gastos de 1 milhão de euros destinados a libertar uma feira colombiana que estava sendo mantida em cativeiro por mais de quatro anos em Mali até sua soltura no ano passado, afirmou o cardeal Angelo Becciu.

A declaração do religioso aconteceu em meio ao tribunal criminal do Vaticano na na última quinta-feira, 5, em que ele está sendo investigado desde 2021 por casos de desvios de dinheiro.

O cardeal estava respondendo a uma pergunta sobre seu relacionamento com a italiana Cecilia Marogna, que foi intermediária na operação de libertação da freira e, sendo de sua confiança, está ligada ao escândalo financeiro no Vaticano.

Becciu afirmou que não teve relações impróprias com Marogna, alegando que esses rumores “prejudicaram” sua "dignidade sacerdotal". Ele também negou as "acusações completamente infundadas" levantadas contra ele.

No testemunho, ainda afirmou que o papa foi o responsável por contratar uma empresa de segurança britânica para descobrir a localização de Gloria Cecilia Narvaez, freira que havia sido sequestrada, em fevereiro de 2017, pela Frente de Libertação Macina, ligada à Al-Qaeda.

"Ele aprovou. Devo dizer que todas as fases dessa operação foram aprovadas pelo Santo Padre", afirmou o religioso, como reportou a Ansa.

Um ano depois da religiosa ter sido sequestrada, Marogna teria intermediado o contato entre o cardeal e a agência de inteligência britânica sediada em Londres. O Santo Padre foi informado que o eventual resgate poderia custar no máximo 1 milhão de euros. Na declaração, Becciu não detalhou se o valor foi realmente pago.