Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Religião

Papa desabafa sobre conflito na Ucrânia: ‘Grande dor em meu coração’

‘Jesus nos ensinou que devemos responder à insensatez diabólica da violência com as armas de Deus, com oração e jejum’, declarou Francisco

Redação Publicado em 23/02/2022, às 18h00

Papa Francisco em 2013 - Getty Images
Papa Francisco em 2013 - Getty Images

O papa Francisco se posicionou nesta quarta-feira, 23, sobre a possibilidade que uma guerra ser instaurada na Ucrânia após o presidente russo, Vladimir Putin, aumentar a pressão sobre o país vizinho.

O chefe de Estado da Rússia enviou tropas para as fronteiras com a Ucrânia e reconheceu recentemente a independência das regiões separatistas de Donetsk e Luhansk na Ucrânia, em um movimento considerado como violação da lei internacional pelos Estados Unidos.

“Tenho muita dor no coração por causa do agravamento da situação na Ucrânia”, afirmou o papa ao proclamar a Quarta-feira de Cinzas, no dia 2 de março, como um dia internacional de jejum e oração pela paz, segundo a CNN. 

Francisco ainda declarou estar angustiado porque a paz estaria ameaçada em decorrência de interesses partidários, condenando ações que “desestabilizam a coexistência entre nações e desacreditam o direito internacional” e a “insensatez diabólica da violência”.

“Apelo a todos os lados para que se abstenham de qualquer ação que possa provocar mais sofrimento às populações, desestabilizar a convivência entre as nações e desacreditar o direito internacional”, acrescentou.

O pontífice pediu ainda à Virgem Maria, “rainha da paz, que salve o mundo da loucura da guerra”. “Jesus nos ensinou que devemos responder à insensatez diabólica da violência com as armas de Deus, com oração e jejum”, declarou.