Notícias » Iraque

Papa Francisco pede que mulheres sejam respeitadas no Iraque

Em encontro com religiosos e leigos cristãos, o Pontífice falou sobre as mulheres que sofrem violência nas mãos de membros do Estado Islâmico no país

Giovanna Gomes, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 08/03/2021, às 09h37

O papa Francisco visitou o Iraque
O papa Francisco visitou o Iraque - Getty Images

No último domingo, 7, enquanto se encontrava em Qaraqosh, no Iraque, o papa Francisco pediu que as mulheres que sofrem violência por parte de terrorristas, os quais, em sua maioria, são membros do Estado Islâmico, sejam respeitadas. As informações são do UOL.

"As mães consolam, dão conforto, dão a vida. E quero agradecer de coração a todas as mães e as mulheres desse país, mulheres corajosas que continuam a dar a vida mesmo com os abusos e as feridas sofridas. Que as mulheres sejam respeitadas e protegidas. Que elas recebam atenção e oportunidades", disse o líder católico em um encontro que contou com a presença de religiosos e leigos cristãos na cidade mais cristã do país.

Muitas mulheres, principalmente yazidis e cristãs, foram vítimas de assassinato e estupro por parte de terroristas no Iraque nos últimos anos, além de que tornou-se constante a venda de meninas para serem escravas de membros do Estado Islâmico. 

De acordo com dados da Igreja Católica, até o ano de 2014, havia cerca de 50 mil católicos em Qaraqosh, mas esse número foi reduzido drasticamente devido à intensa perseguição religiosa contra a comunidade.

"Com grande tristeza, eu olho ao redor e vemos também outros sinais do poder destrutivo da violência, do ódio e da guerra", disse o Pontífice. "Quantas coisas foram destruídas e quanto ainda precisa ser reconstruído. Mas, esse nosso encontro demonstra que o terrorismo e a morte não têm nunca a última palavra. A última palavra pertence a Deus".

Reconhecendo que "há momentos em que a fé pode vacilar e em que parece que Deus não vê e não age", o papa disse aos fiéis: "Lembrem-se que Jesus está ao vosso lado. Não parem de sonhar. Não entreguem-se, não percam a esperança." Ele ainda pediu que os cristãos sejam capazes de perdoar.

"Sei que isso é muito difícil, mas acreditamos que Deus pode trazer paz para essa terra. Confiamos nele e, junto às pessoas de boa vontade, dizemos 'não' ao terrorismo e à instrumentalização das religiões", declarou Francisco.