Notícias » Brasil

Para realizar "prova de vida" mulher leva idoso morto a banco

O caso aconteceu em Campinas e de acordo com o laudo médico, o homem já estava morto havia pelo menos 12 horas

Redação Publicado em 16/10/2020, às 14h20

Primeiro Distrito de Campinas e Central de Flagrantes
Primeiro Distrito de Campinas e Central de Flagrantes - Divulgação / EPTV

De acordo com informações do portal de notícias G1, divulgadas nesta sexta-feira, 16, a Polícia Civil iniciou uma investigação para averiguar o caso de uma mulher que decidiu levar um idoso falecido até uma agência bancária em Campinas, São Paulo, a fim de sacar a aposentadoria do homem.

Segundo revelado na publicação, o caso aconteceu no dia 2 de outubro e chamou a atenção. Na ocasião, a mulher envolvida afirmou que havia perdido a senha de letras da conta de seu suposto companheiro, por isso, foi informada pelo banco que precisaria ia até o local para realizar a prova de vida como operação de segurança.

Já na agência, a cidadã tentou que seu atendimento fosse realizado de maneira rápida, para isso, ela afirmou que o idoso estava passando mal. Os bombeiros foram acionados e se surpreenderam quando perceberam que o homem estava morto, e que, além disso, o óbito parecia ter ocorrido bem antes. 

A suspeita foi confirmada após a divulgação do laudo médico, que informou que o homem em questão — um escrivão aposentado, viúvo, de 92 anos de idade — estava morto havia pelo menos 12 horas.

"Ela alega que era companheira dele há alguns anos, mas não tinha procuração para movimentar ou mexer na conta. Com o laudo, vamos instaurar inquérito por estelionato. Antes, era morte a esclarecer. Agora vamos tentar entender qual era a intenção dela, o que iria fazer com ele e o dinheiro", explicou o diretor do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo, José Henrique Ventura.