Notícias » Reino Unido

Parlamento britânico debaterá se Hamas deve ser considerado uma “organização terrorista”

Movimento palestino rebate possível decisão e diz que classificação é uma "condenação às lutas legítimas dos povos livres contra o colonialismo"

Fabio Previdelli Publicado em 20/11/2021, às 10h31

Reunião do Hamas em Belém
Reunião do Hamas em Belém - Soman via Wikimedia Commons

Na última sexta-feira, 19, o governo do Reino Unido declarou que pretende classificar o movimento palestino Hamas, que está no poder em gaza, como uma “organização terrorista”. O grupo, por sua vez, alegou que a proposta é uma "condenação às lutas legítimas dos povos livres contra o colonialismo".

Desde março de 2001, a brigada Ezedin al Qasam, braço armado do Hamas, está proibida no país europeu; já o movimento palestino integra a lista de “organizações terorristas” dos Estados Unidos e também da União Européia, menos o Reino Unido

Segundo explica matéria da AFP, caso a nova classificação seja aplicada, o que dependerá de um debate parlamentar que deve ocorrer semana que vem em Londres, qualquer membro do Hamas, ou pessoas que promoverem o grupo no país, poderão ser punidos com até 14 anos de prisão, de acordo com o Ministério do Interior, que se baseará seguindo as leis antiterrorismo britânicas.

"O Hamas tem capacidades terroristas significativas, incluindo acesso a um vasto e sofisticado arsenal e equipamento terrorista", declarou a ministra Priti Patel em suas redes sociais. "É por isso que estou agindo hoje para banir totalmente o Hamas".

O Hamas é fundamentalmente e radicalmente antissemita", completou Patel, que diz que banir o grupo é necessário para proteger a comunidade judaica. 

Hazem Qasem, porta-voz do Hamas, por sua vez, denunciou que a medida é "um crime contra nosso povo palestino e sua história de luta, bem como uma condenação das lutas legítimas dos povos livres contra o colonialismo".