Notícias » Nazismo

Pastor compra almofada no Walmart e descobre imagens nazistas nela

O item foi comprado pelo site e era aparentemente inocente, com símbolos da França e frases aleatórias

Alana Sousa Publicado em 08/02/2019, às 14h30 - Atualizado às 15h53

O reverendo em vídeo do The Fresno Bee
O reverendo em vídeo do The Fresno Bee - The Fresno Bee / Reprodução de vídeo

Um pastor episcopal anglicano da cidade de Fresno, Califórnia, comprou uma aparentemente inocente almofada com uma bicicleta, a Torre Eiffel a e palava “Paris”.  A compra online foi realizada pelo reverendo Ryan Newman  em novembro no Walmart. Só agora, 3 meses depois, ele foi se dar conta do que havia nos selos na estampa, aparentemente lá para dar um ar mais turístico: reproduções de estamas do partido nazista com suásticas, junto com o rosto de Hitler em selos postais com a palavra “Reich”.

A descoberta chocou o religioso, que enquanto brincava com a sua filha, um bebê de cinco meses, percebeu que o objeto estava em sua casa o tempo inteiro.Newman é o diretor da Catedral Episcopal St. James, no centro de Fresno, e contou ao The Fresno Bee que seu trabalho é pregar o “amor, a tolerância e a reconciliação", e ficou irritado e chateado com a descoberta: “Para mim, a suástica é um símbolo de ódio. É um símbolo do mal”.

Reverendo Ryan Newman Craig Kohlruss/Reprodução

Ao perceber as figuras nazistas em seu objeto enviou um e-mail para o Walmart, que respondeu que não havia muito que fazer, já que o website funciona com produtos de vendedores independentes, parte da resposta da empresa foi: “Não temos acesso a nenhum item de vendedor do mercado. Não se preocupe. A melhor e a única coisa que podemos fazer é encaminhar isso para a equipe de resolução do vendedor do mercado”.

Detalhe da estampa Craig Kohlruss/Reprodução

Em declaração oficial, em representante do Walmart afirmou que: “Seu travesseiro foi listado por um vendedor terceirizado em nosso mercado on-line e viola nossa política. Examinamos regularmente nosso mercado para esses tipos de itens, mas, infelizmente, a imagem ofensiva não era visível na foto do travesseiro e não estávamos cientes até que o cliente entrou em contato. Removemos o item imediatamente e estamos revisando o sortimento do vendedor”.

O produto foi retirado da loja um dia após a reclamação do pastor.


Com informações de The Freno Bee e Inquisitr