Notícias » Música

Paul McCartney diz que John Lennon separou os Beatles: 'Por alguns meses, tivemos que fingir'

Durante entrevista, o astro voltou a falar sobre o tema que divide opiniões há anos

Redação Publicado em 10/10/2021, às 17h16

John Lennon ao lado de Paul McCartney
John Lennon ao lado de Paul McCartney - Divulgação/ Linda McCartney, via Paul McCartney

50 anos após o fim dos Beatles, Paul McCartney voltou a falar sobre um assunto que divide opiniões há anos. Durante conversa com o This Cultural Life, da BBC Radio 4, o ex-beatle disse que John Lennon fora o verdadeiro responsável pelo fim da banda.

Durante a entrevista, o artista disse que não instigou a separação dos Beatles e frisou que gostaria que tivessem continuado.

“Eu não instiguei a separação. Isso foi o nosso Johnny. Esta era a minha banda, este era o meu trabalho, esta era a minha vida, então queria que continuasse,” explicou McCartney, conforme divulgado pelo NME.

Em seguida, Paul relembrou como ocorreu a decisão de John.

"Não fui eu quem instigou a separação. Oh não, não, não. John entrou em uma sala um dia e disse: 'Estou saindo dos Beatles'. Isso é instigar a separação ou não?".

'Tivemos que fingir'

Vale ressaltar que foi McCartney o membro responsável por divulgar inicialmente que o quarteto de Liverpool deixou de existir em 1970. Como consequência, foi considerado culpado pelo fim do quarteto. Na entrevista, contudo, o artista relembrou que a banda já não existia há meses e o que as pessoas presenciavam era ‘fingimento’.

“Então, por alguns meses, tivemos que fingir. Foi estranho porque todos nós sabíamos que era o fim dos Beatles, mas não podíamos simplesmente ir embora,” explicou McCartney. "Estava farto de esconder isso".

'Procurando se libertar'

Durante a conversa, o astro também falou sobre uma dúvida que intriga fãs da banda há anos. Para ele, os Beatles teriam durado mais se não fosse a decisão de Lennon.

"Poderia ter (durado mais). O ponto realmente era que John estava construindo uma nova vida com Yoko. John sempre quis se libertar da sociedade porque, você sabe, ele foi criado por sua tia Mimi, que era bastante repressiva, então ele estava sempre procurando se libertar.”