Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Bizarro

Peças de Lego despejadas no mar em 1997 são encontradas até hoje

Os brinquedos de plástico continuam sendo descobertos por banhistas nas praias do Reino Unido mesmo 25 anos mais tarde

Pamela Malva Publicado em 14/02/2022, às 19h00

Fotografia de peças encontradas na praia - Divulgação/ Tracey Williams
Fotografia de peças encontradas na praia - Divulgação/ Tracey Williams

Em 13 de fevereiro de 1997, o navio Tokio Express foi atingido por uma enorme onda enquanto passava pela costa sudoeste do Reino Unido. Com o impacto, milhões de peças de Lego foram despejadas no mar e, hoje, 25 anos mais tarde, elas continuam sendo detectadas por banhistas em diversas praias inglesas.

Segundo a LiveScience, tudo começou quando o navio de carga foi atingido pela onda violenta. Tamanha foi a força da água que 62 contêineres foram lançados ao mar. Um deles, de acordo com registros da embarcação, levava 5 milhões de peças de Lego.

Nas mais distintas cores, as muitas pecinhas de plástico foram despejadas no oceano, no episódio que ficou conhecido como ‘Great Lego Spill’ (‘Gran derrame de Lego’, em português). E, hoje, exatos 25 anos depois, muitas ainda são encontradas nas praias.

Segundo Tracey Williams, autora de ‘Adrift: O Curioso Conto do Lego Perdido no Mar’, as peças tinham formatos variados e dezenas de milhares delas contavam com um tema náutico — muitas eram polvos, coletes salva-vidas e tanques de mergulho.

Fotografia de peça encontrada na praia / Crédito: Divulgação/ Tracey Williams

"O que estamos encontrando agora são as peças que afundaram, bem como as peças que flutuaram", afirmou Williams. De acordo com os registros do navio, cerca de 3,1 milhões de peças que caíram no mar naquele dia eram leves o suficiente para flutuar. 

Para a autora, o evento “está nos fornecendo uma visão sobre o que acontece com o plástico no oceano, até onde ele deriva — tanto na superfície do oceano quanto no fundo do mar — e o que acontece com ele à medida que se decompõe”.

Em 2015, a BBC conseguiu mapear mais de 40 pontos da praia na Cornualha onde as peças de Lego foram encontradas. O problema é que, por serem de plástico, os brinquedos ainda devem demorar muitos anos para sumir da paisagem britânica.

Ainda de acordo com a LiveScience, cientistas chegaram a analisar algumas das peças encontradas nas praias inglesas e, através de raio-x, descobriram que elas podem levar até 1.300 anos para se decomporem completamente. Os resultados de tal pesquisa foram publicados em julho de 2020 na revista Environmental Pollution.