Notícias » Ciência

Peixes-dourados podem aprender a dirigir, aponta pesquisa

Desenvolvido pela Universidade Ben-Gurion, o estudo revelou que os animais têm a capacidade de controlar veículos

Pamela Malva Publicado em 11/01/2022, às 21h00

Fotografia de um dos peixes sendo estudado
Fotografia de um dos peixes sendo estudado - Divulgação/ Universidade Ben-Gurion

Pesquisadores da Universidade Ben-Gurion, em Israel, recentemente anunciaram uma descoberta inusitada. Segundo divulgado pela CNN nesta terça-feira, 11, o estudo realizado pelos cientistas revelou que peixes-dourados são capazes de dirigir carros.

Tudo começou quando os estudiosos israelenses desenvolveram um veículo especial, que poderia ser manipulado pelos peixes. Para isto, usaram uma tecnologia conhecida como LIDAR, cujas luzes laser conseguem identificar tanto a localização do automóvel em terra, quanto a movimentação do peixe-dourado dentro de um aquário.

Em seguida, o computador, junto de uma câmera, de motores elétricos e de rodas omnidirecionais, permite que o animal manipule o carro sem muito esforço. E é aí que entram os 6 peixinhos selecionados para o estudo.

“Surpreendentemente, não demora para que o peixe aprenda como dirigir o veículo”, narrou o pesquisador Schachar Givon. “Ficam confusos à primeira vista. Não sabem o que está acontecendo, mas percebem rapidamente que há uma correlação entre seus movimentos e os movimentos da máquina em que estão dentro.”

Fotografia de um dos peixes analisados no estudo / Crédito: Divulgação/ Universidade Ben-Gurion

 

No total, cada um dos peixes recebeu 10 aulas de direção, nas quais aprenderam a controlar o carro. Cada vez que atingiam um objetivo estipulado pelos cientistas, os animais eram recompensados com comida, segundo a CNN.

Curiosamente, a pesquisa ainda revelou que alguns peixes eram melhores no volante do que outros. “Havia peixes muito bons, que eram excelentes no que estavam fazendo, e havia peixes medíocres que mostraram controle do veículo, mas foram menos proficientes em dirigi-los", explicou o neurocientista Ronen Segev.

Para os especialistas, a descoberta ainda abre portas para uma maior compreensão sobre as habilidades de navegação dos animais — já que os resultados mostraram que os peixes têm capacidade cognitiva o suficiente para navegar fora do ambiente aquático.

“Nós humanos pensamos em nós mesmos como muito especiais, e muitos pensam em peixes como primitivos, mas isso é incorreto”, apontou Segev, que ainda é professor de biologia. “Há outras criaturas muito importantes e muito inteligentes.”