Notícias » Religião

Pela primeira vez, Papa Francisco defende lei de união civil entre homossexuais

O argentino afirmou que "pessoas homossexuais têm direito de estar em uma família" pois também são "filhas de Deus"

Wallacy Ferrari Publicado em 21/10/2020, às 14h06

Papa durante missa
Papa durante missa - Wikimedia Commons

O Papa Francisco afirmou que homossexuais também necessitam de proteção pelas leis de união civil. A declaração foi revelada no documentário ‘Francesco’, que entra em cartaz em diversos cinemas na Itália nesta quarta-feira, 21. A afirmação foi compreendida como uma das mais claras entre os papas em favor dos direitos dos homossexuais.

Discorrendo sobre temas como pobreza, meio ambiente, desigualdade social e racial, a fala sobre os direitos figura a metade do filme. "As pessoas homossexuais têm direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deverá ser descartado ou ser infeliz por isso”, declarou Francisco.

O papa ainda acrescenta que é necessário o amparo previsto em lei, como qualquer outra união heterossexual civil: “O que precisamos criar é uma lei de união civil. Dessa forma eles são legalmente contemplados. Eu defendi isso". O texto obtido pelo diretor Evgeny Afneevsky se refere a época que Francisco era arcebispo na Argentina durante o processo de aprovação de casamentos com pessoas do mesmo sexo.

O documentário já foi exibido no Festival de Roma na manhã de hoje, tendo salas abertas por toda a Itália ao longo do dia. A partir do da 25 de outubro, a versão em inglês será disponibilizada durante o Savannah Film Festival e, posteriormente, levada para cinemas de todo o mundo.