Notícias » Arqueologia

Persas já usariam aço inoxidável há 1.000 anos, diz estudo inédito

Descoberta contraria o consenso científico até então, que dizia que o uso do metal seria uma inovação mais recente

Ingredi Brunato Publicado em 23/09/2020, às 14h25

Resto de um forno de fundir metais, com um pedaço de escória (um material que acaba sendo produzido durante o processo de fundir minérios) grudado
Resto de um forno de fundir metais, com um pedaço de escória (um material que acaba sendo produzido durante o processo de fundir minérios) grudado - Divulgação/ Rahil Alipour / UCL Archaeology

Um estudo publicado ontem, 22, no Journal of Archaeological Science, trouxe uma revelação inédita: diferentemente do que a comunidade científica costumava pensar, o aço cromo - ou aço inoxidável - já era usado pelos persas 1.000 anos atrás. 

Embora o aço cromo que usamos atualmente tenha sido desenvolvido apenas no século XX, escavações em um sítio arqueológico no sul do Irã, onde o povo persa vivia, encontraram versões iniciais da liga de aço cromo. 

Imagem microscópica de pedaço arredondado de aço grudado em escória (um material que acaba sendo produzido durante o processo de fundir minérios). Crédito: Divulgação/ Rahil Alipour / UCL Archaeology

 

O metal usado pelos persas ainda não tinha a qualidade moderna: continha fósforo (que deixa o material menos resistente) e seu baixo nível de cromo tornava esse aço primitivo, na verdade, ainda oxidável. Apesar disso, já era uma grande inovação técnica, e segundo estimam os especialistas, o aço teria sido usado na confecção de armaduras, espadas e adagas, entre outros. 

“Essa é a evidência mais antiga de adição consistente e intencional de um mineral de cromo, mais provavelmente cromita, ao aço fundido”, escreveram os pesquisadores no artigo.