Notícias » Coronavírus

Pesquisa revela que CoronaVac quase dobra número de anticorpos em quem já teve Covid-19

O estudo foi realizado pela Universidade Médica de Chongqing, na China

Luíza Feniar Migliosi sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 27/08/2021, às 13h28 - Atualizado às 13h29

Vacina CoronaVac
Vacina CoronaVac - Getty Images

Segundo estudo feito pela Universidade Médica de Chongqing, na China, a vacina CoronaVac, da farmacêutica chinesa Sinovac e fabricação brasileira feita pelo Instituto Butantan, é capaz de dobrar a quantidade de anticorpos e multiplicar em 4,4 vezes o nível de imunoglobulina IgG, importantes para defesa e prevenção de reinfecção no organismo, em quem já teve Covid-19, segundo publicação feita na Agência Brasil.

Os resultados preliminares, feitos com 85 pacientes recuperados da Covid-19, foram divulgados na Cell Discovery, parte da publicação da revista Nature. Os participantes do estudo tinham entre 3 e 84 anos e tinham contraído a doença, em grande parte, no início do ano passado.

Até o momento, a pesquisa indicou que o nível de anticorpos neutralizantes era de 36 um dia antes da primeira dose e subiu até atingir 108 duas semanas após a segunda dose da vacina entre as pessoas que já tiveram Covid-19. No grupo de controle, o nível atingido foi de 56.

O nível da imunoglobulina IgG, que era de 3,68 um dia antes da vacina, subiu para 47,74 duas semanas após a segunda dose. A quantidade é 4,4 vezes superior ao nível de 10,81 detectado no grupo controle.

Porém, durante os 12 meses de acompanhamento, os níveis dos anticorpos neutralizantes diminuíram de 631 para 84 entre o fim do primeiro e o último mês. No caso da imunoglobulina IgG, o indicador caiu de 28,6 para 7,2 no mesmo período.

Confira a pesquisa completa aqui