Notícias » Paleontologia

Pesquisadores descobrem briga de insetos de 99 milhões de anos conservada em âmbar

O pedaço fossilizado remonta um ataque predatório de uma 'formiga do inferno' com uma descendente extinta das baratas

Wallacy Ferrari Publicado em 10/08/2020, às 07h31

Foto do fóssil (à esq.) e a digitalização do ataque (à dir.)
Foto do fóssil (à esq.) e a digitalização do ataque (à dir.) - New Jersey Institute of Technology/Chinese Academy of Sciences/University of Rennes

Uma equipe de paleontologistas de três universidades conseguiu analisar uma descoberta impressionante e concluir que a dupla de insetos encontrados presos em âmbar estava brigando. O pedaço fossilizado, encontrado em Myanmar, chamou a atenção da equipe pela raridade dos membros da batalha predatória pela vida.

O estudo, publicado na revista Current Biology, foi realizado pelo Instituto de Tecnologia de Nova Jersey em parceria com a Academia Chinesa de Ciências e a Universidade de Rennes, revelando que o âmbar conservou um ataque de uma formiga pré-histórica, popularmente conhecida como ‘formiga do inferno’, pertencente a subfamília Haidomyrmecinae.

O inseto extinto atacava outro animal que já não existe mais; uma ninfa de Caputoraptor elegans, um dos parentes extintos da barata moderna. Em um ataque bizarro, as garras da formiga, semelhantes a uma foice, demonstram a violência que o animal realizava ataques, prendendo as presas e canibalizando seus corpos.

O principal autor, Dr. Phillip Barden, pesquisador do Departamento de Ciências Biológicas do Instituto de Tecnologia de Nova Jersey e da Divisão de Zoologia de Invertebrados do Museu Americano de História Natural, explicou que o encontro de batalhas fossilizadas é um tesouro paleontológico: “O comportamento fossilizado é extremamente raro, especialmente a predação”