Notícias » Arqueologia

Pesquisadores descobrem evidências sobre antigos caçadores-coletores da África

No sul da África foram encontrados resíduos orgânicos que revelaram novas informações sobre as antigas civilizações

Penélope Coelho Publicado em 14/05/2020, às 10h25

Vista do norte de Likoaeng, onde novas evidências foram encontradas
Vista do norte de Likoaeng, onde novas evidências foram encontradas - Divulgação

Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Bristol com resíduos orgânicos encontrados em vasos utilizados por caçadores-coletores, indica que os restos sejam do ano 400 d.C.

Em Lesoto, no sul da África, os cientistas descobriram a presença de laticínios em aproximadamente um terço dos vasos analisados, confirmando a existência de animais domésticos nesses locais.

Em Likoaeng, os pesquisadores se depararam ossos de animais domésticos, levando a crer que os caçadores-coletores da região estavam criando ovelhas, como uma alternativa para suprir algumas necessidades.

Na visão dos estudiosos, essa forma de sustento surgiu através do contato com grupos agrícolas. Isso porque foi identificada a presença de comunidades de agricultores naquela região da África, no mesmo período em que os caçadores-coletores. Essa novidade coloca em cheque a teoria antiga de que esses grupos não haviam convivido.

Anteriormente, a presença de animais domésticos nesse local já havia sido questionada, entretanto, somente evidências de espécies selvagens foram descobertas. Agora, a nova pesquisa da Universidade de Bristol mostrou a presença de animais mais domesticados, através da análise morfológica nos ossos encontrados.

“Nós extraímos e analisamos resíduos em vasos de caçadores-coletores nas terras altas do Lesoto, Likoaeng e Sehonghong, datados de meados do final do primeiro milênio d.C, e os comparamos com resíduos extraídos de vasos de um assentamento agrícola”, afirmou pesquisadora principal, Helen Fewlass.

Para Fewlass, através dessa pesquisa foi possível entender a relação desses grupos distintos: "Isso nos permitiu explorar as práticas de subsistência dos caçadores-coletores que ocupam esses locais para ver se havia alguma evidência de seu contato com grupos agrícolas".

Agora o intuito da pesquisa é entender se a relação entre os agricultores e caçadores-coletores acontecia também em outras regiões do sul da África, além das já analisadas, ou se foi um movimento isolado.