Notícias » África

Pesquisadores descobrem que o leite era consumido há mais de 3.000 anos na Mongólia

Foi feito a análise da arcada dentária dos indivíduos encontrados para datar o período que pertenceram

Gabriel Fagundes Publicado em 05/03/2020, às 09h54

O consumo do leite tem perpassado épocas para a sociedade Mongol
O consumo do leite tem perpassado épocas para a sociedade Mongol - Getty Images

Os laticínios, ao longo do desenvolvimento da história, tiveram parte fundamental para os processos da evolução alimentícia, cultural e social. Entretanto, em algumas regiões do globo terrestre, sua origem ainda permanece desconhecida para maioria dos cidadãos. Como é o caso da produção de leite na Mongólia, localizada no sudoeste da Ásia.

Nessa região, os lácteos, hoje, chegam a representar 50% do consumo calórico no verão. E durante milênios essa forma de se alimentar foi cultivada pelo pastoralismo da Eurásia oriental. É o que mostra o estudo do Instituto Max Plank para a Ciência da História Humama, liderado por Shevan Wilkin e Jessica Hendy, ao descobrirem a evidência datada por volta de 3.000 a.C.

A detecção dessa prática, que existiu na Mongólia pré-histórica pelos pesquisadores, não foi tarefa fácil. Isso por conta das transformações ocorridas nas sociedades pastoris e das alterações climáticas que proporcionavam ventos fortes e apagavam os registros das vidas e das culturas passadas. Foi por isso que Shevan e Jessica procuraram rastros de laticínios nos cemitérios humanos, mediante a análise de rituais, monumentos de pedra, satélites e até a verificação dos túmulos de animais.

Para isso, o estudo foi realizado com a colaboração da Universidade Nacional da Mongólia. Onde foi feito o cálculo da arcada dentária dos indivíduos encontrados, que pertenciam à Idade do Bronze do período Mongol. Cerca de 75 por cento deles continham indicativos de que chegaram a consumir alimentos lácteos. Os estudiosos também sequenciaram as proteínas do leite extraída dos dentes para identificar qual a espécie de animal era utilizava para a produção do líquido.

Apesar disso, Sheevan destaca que "os mongóis modernos usam vaca, ovelha, cabra, iaque, camelo, cavalo e rena para o leite, mas quando cada uma dessas espécies foi utilizada pela primeira vez para laticínios na Mongólia permanece incerto”. Por essa razão, os especialistas pretendem continuar as buscas para encontrar indivíduos que viveram em períodos anteriores dos que foram retratados nesta matéria.