Notícias » Paleontologia

Pesquisadores descobrem que rinoceronte pré-histórico desapareceu devido à mudança climática

Contrariando o consenso até então, não foram os humanos da Era do Gelo os responsáveis pela extinção da espécie

Ingredi Brunato Publicado em 13/08/2020, às 13h52

Representação artística de rinoceronte lanoso
Representação artística de rinoceronte lanoso - Wikimedia Commons

Em um estudo publicado nessa quinta-feira, 13, pesquisadores afirmam que a extinção dos rinocerontes lanosos foi causada não pela atividade humana como antes se pensava, mas pela mudança climática. O artigo saiu na revista Current Biology e conta como a descoberta foi feita através da sequenciação do DNA dos herbívoros gigantes. 

Segundo a pesquisa, a população dos rinocerontes lanosos, na verdade, permaneceu estável por dezenas de milhares de anos e só veio a desaparecer após um período de aumento da temperatura. Como eram animais fortemente adaptados ao frio, o aquecimento climático teria sido o grande culpado por sua extinção. 

Em algum ponto da Era do Gelo, humanos e rinocerontes dividiram a mesma região, na Sibéria, no entanto, graças à nova descoberta, sabemos agora que essa convivência foi mais harmoniosa do que antes suposto. Caso o rinoceronte lanoso tivesse sido amplamente caçado pelos humanos, teria havido um declínio significativo em sua população, o que não aconteceu. 

“Estamos nos afastando da ideia de humanos assumindo o controle de tudo assim que entram em um ambiente e, em vez disso, elucidando o papel do clima nas extinções da megafauna”, diz a co-autora do estudo, Edana Lord, estudante de PhD do Centro de Paleogenética. 

No futuro, os pesquisadores pretendem sequenciar mais genomas não só dos rinocerontes lanosos, mas também de outras espécies pré-históricas adaptadas ao frio. O que eles buscam é entender em que momento esses animais foram extintos, e qual o papel que o clima e os humanos realmente ocupam em cada caso.