Notícias » Arqueologia

Pesquisadores encontraram artefato de 3 mil anos que pode ser uma representação de Deus

A teoria dos especialistas vem causando debates na comunidade arqueológica de Israel

Penélope Coelho Publicado em 31/07/2020, às 11h45

Divulgação / Autoridade de Antiguidades de Israel
Divulgação / Autoridade de Antiguidades de Israel - Imagem da cabeça de barro encontrada em Israel

Uma cabeça feita de barro foi encontrada no famoso sítio arqueológico de Khirbet Qeiyafa, em Israel. Os especialistas acreditam que a peça tenha quase 3 mil anos e que seja uma representação de Javé, o Deus dos israelitas. As informações são do portal de notícias Live Science.

Contudo, de acordo com a bíblia, a população era proibida de criar representações para adorar.“Você não deve fazer para si uma imagem na forma de qualquer coisa no céu acima ou na terra abaixo ou nas águas abaixo”, (Êxodo 20: 4).

Até o momento, acredita-se que a cabeça de barro de cinco centímetros faça parte de uma estátua. Para o arqueólogo e líder da pesquisa, Yosef Garfinkel, a peça completa representava Javé montado em um cavalo. “Relatos bíblicos falam de Javé cavalgando nos céus”, afirmou o especialista.

Controversas

Entretanto, a teoria dos arqueólogos não foi aceita por todos. Pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, não concordaram com essa hipótese e escreverem seus argumentos em nota.

“Embora não possamos descartar a possibilidade de as cabeças humanas retratarem deuses, elas não têm marcas, símbolos ou atributos encontrados em figuras e representações visuais em todo o antigo Oriente [...] Além disso, pesquisas arqueológicas e históricas indicam que, há cerca de 3 mil anos, o Senhor nem sequer era adorado na região, e também não era o único deus de Israel”, finalizou a Universidade.