Notícias » Astronomia

Pesquisadores estimam número de civilizações na galáxia que poderiam se comunicar

Através de uma equação sofisticada, o grupo de cientistas da Inglaterra chegou em um número que pode surpreender

Caio Tortamano Publicado em 15/06/2020, às 17h17

Planeta "TOI 700 d", encontrado pelo satélite Tess da Nasa
Planeta "TOI 700 d", encontrado pelo satélite Tess da Nasa - Divulgação

De acordo com o The Guardian, uma pesquisa da Universidade de Nottingham utilizou uma equação formulada em 1961 para determinar o número de civilizações inteligentes, presentes na galáxia, que poderiam se comunicar.

De acordo com os resultados, os números estariam por volta de 36. Essa equação usa sete fatores principais, incluindo o número médio de estrelas formadas em um ano e o período de tempo que uma civilização estaria enviando sinais detectáveis.

Criado pelo astrofísico Francis Drake (que batiza a conta de Equação de Drake) o método, embora interessante, possui poucos fatores mensuráveis, assim os resultados variavam de zero até a casa dos bilhões. 

Agora, a equipe comandada por Christopher Coselice, refinou a equação com novos bancos de dados e teorias para chegar às estimativas divulgadas. De acordo com as novas informações, variam de 4 a 211 civilizações na Via Láctea capazes de entrar em contato umas com as outras, sendo somente 36 o número provável.

"Basicamente, assumimos que a vida inteligente se formaria em outros planetas como na Terra, portanto, dentro de alguns bilhões de anos, a vida se formaria automaticamente como parte natural da evolução", disse Conselice.
 

A equipe ainda apontou, levando em consideração o tempo que outra civilização demoraria para alcançar tecnologias necessárias para a comunicação, que a humanidade terráquea teria que sobreviver mais 6.120 anos para conseguir estabelecer um diálogo efetivo de mão dupla.

Isso porque a comunidade mais próxima fora da Terra poderia estar a 17 mil anos luz do nosso planeta, por mais válida que seja a previsão, ainda está longe de ser comprovada.