Notícias » Paleontologia

Pesquisadores identificam ancestral mamífero mais antigo com mandíbula complexa

"Eu soube que era importante desde o momento em que tirei este espécime do chão", disse cientista

Isabela Barreiros Publicado em 14/10/2020, às 08h00

Representação do animal encontrado na Groenlândia
Representação do animal encontrado na Groenlândia - Divulgação/Uppsala University

Em um novo estudo publicado na revista científica PNAS, um time de pesquisadores identificou e descreveu o esqueleto do ancestral mamífero mais antigo com mandíbula complexa já encontrado. O trabalho foi liderado pela Universidade de Uppsala, na Suécia e os restos foram descobertos na Groenlândia.

O esqueleto analisado era extremamente pequeno, com por volta de 20 mm, mais ou menos o tamanho de um grande rato. Ele pertencia a um animal provavelmente coberto de pelos que viveu no Triássico Superior, há por volta de 215 milhões de anos. 

“Nossa descoberta do ancestral mamífero mais antigo com molares de raiz dupla mostra a importância do papel dos dentes na origem dos mamíferos”, explicou Tomasz Sulej, pesquisador da Academia Polonesa de Ciências. Grzegorz Niedźwiedzki, principal autor da pesquisa, afirmou: “eu soube que era importante desde o momento em que tirei este espécime de 20 mm do chão”.

Segundo os cientistas, as transformações que acometeram os mamíferos em relação à sua mandíbula e estrutura dentária estão relacionadas às mudanças na alimentação dos animais. Nesse caso, eles estavam se desenvolvendo para hábitos alimentares mais onívoros e até mesmo herbívoros. 

"A evolução inicial dos mamíferos é um tópico particularmente interessante nos estudos evolutivos. Esta pequena mandíbula da Groenlândia nos mostra como surgiram os dentes dos mamíferos complexos e por que apareceram", afirmou Niedźwiedzki.