Notícias » Arqueologia

Pesquisadores identificam local budista de 2 mil anos no Paquistão

Considerado um “complexo monástico”, ele contava com uma escola, um salão de assembleias e estupas

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 09/02/2021, às 08h00

Local budista no Paquistão
Local budista no Paquistão - Divulgação

Uma impressionante descoberta arqueológica foi feita na província de Khyber Pakhtunkhwa, em Swat, no Paquistão. Pesquisadores foram responsáveis por localizar ruínas de um antigo local budista que tem pelo menos 2 mil anos.

Estruturas como uma escola, um salão de assembleias, entre outros edifícios, como estupas, que são monumentos funerários, foram identificados sob uma região de pasto de gado. A Direção Provincial de Arqueologia e Museus anunciou a descoberta como um “complexo monástico”.

Segundo os responsáveis pelas escavações arqueológicas, o local foi construído durante o domínio do Império Kushana na região, na que é considerada “era pré-islâmica”. Eles governavam um território enorme que compreendia o Uzbequistão, Afeganistão e Paquistão e parte do norte da Índia.

Agora, as autoridades históricas afirmam que um projeto de restauração está sendo feito no local, com o intuito de aumentar o turismo na região. No local, eles também descobriram moedas, o que permitiu a continuidade das escavações

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.