Notícias » Europa

Pesquisadores resgatam 100 vasos de navio romano naufragado há 1.700 anos

As peças, incrivelmente bem conservadas, eram usadas para armazenar molho de peixe, óleo e vinho

Fabio Previdelli Publicado em 30/09/2019, às 11h03

Arqueólogo retirando areia perto das ânforas
Arqueólogo retirando areia perto das ânforas - Reprodução

Pesquisadores resgataram cerca de 100 ânforas de um navio romano afundado na costa da praia de Can Pastilla, em Mallorca, na Espanha

O naufrágio — que os especialistas datam de cerca de 1.700 anos atrás — foi encontrado por um casal que avisou os fragmentos de cerâmica no fundo do mar. No entanto, o material só poderá ser analisado após os pesquisadores terminarem o trabalho de dessalinização dos objetos.

Pesquisadores resgataram cerca de 100 ânforas de um navio romano afundado / Crédito: Reprodução


“As ânforas estão agora em piscinas onde estão sendo dessalinizadas e achamos que esse processo durará cerca de quatro meses”, disse o diretor de patrimônio do município de Mallorca, Kiko Coll. “Esse processo é importante porque o sal cristaliza e pode quebras as ânforas”.

Com base em algumas inscrições nos frascos, os arqueólogos acreditam que os vasos foram usados para armazenar molho de peixe, óleo e vinho. Além dos artefatos, o navio que os transportava também foi encontrado. No entanto, o motivo de seu naufrágio ainda é incerto, devido a incrível preservação dos objetos.

“Não acho que tenha sido por causa do mau tempo, porque o estado de conservação da carga é extraordinário. Se fosse por uma tempestade, as ânforas seriam espalhadas e não é o caso”, explica o arqueólogo subaquático Sebastià Munar. “Foi um acidente, uma má manobra”.

Arqueólogos acreditam que os vasos foram usados para armazenar molho de peixe, óleo e vinho / Crédito: Reprodução


O material foi recolhido com a ajuda da marinha espanhola e de mergulhadores da polícia nacional. As escavações foram feitas com a ajuda de um sistema composto por mangueiras de sucção de areia. Os arqueólogos removeram os frascos, mas os destroços do navio devem ser deixados no fundo do mar.