Notícias » Ciência

Pílula desenvolvida pela Pfizer contra covid-19 reduz mortes em 89%

A empresa anunciou os resultados dos novos testes nesta terça-feira, 14

Redação Publicado em 14/12/2021, às 11h43

Na imagem, o logo da Pfizer
Na imagem, o logo da Pfizer - Getty Images

A Pfizer anunciou, nesta terça-feira, 14, que sua nova pílula contra a Covid-19, ainda em fase de testes, foi capaz de reduzir o risco de hospitalização ou morte pela doença em 89% em adultos pertencentes aos grupos de risco.

Após um mês de observações, das 697 pessoas que receberam o medicamento nos primeiros três dias em que apresentaram sintomas, apenas cinco precisaram ser hospitalizadas, sendo que não houve mortes. Por outro lado, entre os 682 voluntários que receberam placebo, 44 foram hospitalizados e 9 acabaram vindo a óbito.

Os cientistas acompanharam ainda um terceiro grupo, que recebeu a pílula nos primeiros cinco dias de sintomas. O resultado foi semelhante: apresentou 88% de eficácia, segundo informações da CNN.

É importante ressaltar que nenhum dos participantes do estudo foi vacinado contra a Covid-19.

De acordo com o CEO da Pfizer, Dr. Albert Bourla, a pesquisa indicou “uma diminuição de aproximadamente 10 vezes na carga viral no quinto dia em relação ao placebo”, o que "ressalta o potencial desse candidato a tratamento para salvar a vida de pacientes em todo o mundo, tenham eles sido vacinados ou não”, disse em comunicado.

A ideia da empresa é que os comprimidos, que receberam o nome de Paxlovid, possam ser utilizados pelas pessoas em casa, logo no início dos sintomas, de modo que elas não precisem ir ao hospital.