Notícias » Coronavírus

Pfizer realiza estudos clínicos de vacina contra Ômicron

Uma nova versão do imunizante será testada, conforme anunciou a farmacêutica nesta terça-feira, 25

Redação Publicado em 25/01/2022, às 19h00

Frascos da vacina da Pfizer
Frascos da vacina da Pfizer - Getty Images

A farmacêutica Pfizer e o laboratório parceiro, BioNTech, anunciaram nesta terça-feira, 25, que foi iniciado um ensaio clínico para testar uma nova versão de seu imunizante contra Covid-19, voltada especificamente para a variante ômicron.

De acordo com o comunicado, o estudo deverá contar com a participação de 1.420 pessoas com idades entre 18 e 55 anos, que serão divididas em três grupos. O primeiro deles será composto por voluntários que receberam duas doses da vacina Pfizer/BioNTech entre 90 e 180 dias antes da inscrição, os quais receberão uma ou duas doses da versão contra a ômicron.

O segundo grupo contará com pessoas que receberam três doses da vacina original antes do estudo. Elas receberão uma quarta dose da vacina atual ou da versão contra a ômicron, conforme informou o portal de notícias G1.

Já o terceiro e último grupo incluirá pessoas que nunca foram vacinadas contra a doença e que deverão receber apenas três doses da vacina específica contra a nova variante.

“Permanecer vigilantes contra o vírus exige que identifiquemos novas abordagens para que as pessoas mantenham um alto nível de proteção, e acreditamos que desenvolver e investigar vacinas baseadas em variantes são essenciais em nossos esforços para atingir esse objetivo”, disse a diretora de pesquisa de vacinas da Pfizer, Kathrin Jansen.

Segundo Ugur Sahin, diretor executivo da BioNTech, a proteção da vacina atualmente aplicada contra a Covid-19 leve e moderada parece diminuir mais rapidamente no caso da ômicron.

O estudo é parte de nossa abordagem científica para desenvolver uma vacina baseada em variantes que alcance um nível similar de proteção contra a ômicron como o registrado contra as variantes anteriores, mas com uma duração maior da proteção", disse Sahin.