Notícias » Escandinávia

Pico de radiação misterioso é detectado no norte da Europa

Segundo a Associated Press, o fenômeno ainda não conseguiu ser explicado por agências de monitoramento locais

Vanessa Centamori Publicado em 10/07/2020, às 11h10

Imagem ilustrativa de símbolo de radiação
Imagem ilustrativa de símbolo de radiação - Pixabay

Segundo informações da agência Associated Press (AP), os níveis de radiação no norte da Europa aumentaram de modo inesperado e por ora, de maneira inexplicável. No entanto, oficiais holandeses disseram que a causa do ocorrido seria uma usina nuclear na Rússia, podendo "indicar danos a um elemento combustível" dessa indústria. 

Por outro lado, a operadora de energia nuclear russa Rosenergoatom refutou essa hipótese, que se refere às suas instalações em Kola e Leningrado. Fato é que diversas agências escandinavas alertam para um aumento nos níveis de isótopos radioativos, ou seja, na quantidade de átomos cujos núcleos são instáveis.

Em sua conta no Twitter, o secretário executivo da Organização do Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares, Lassina Zerbo, comentou o caso. Ele postou um mapa que mostra, na cor laranja, a região afetada pelo aumento repentino de radiação.

Segundo as informações, as concentrações de césio-134, césio-137 e rutênio-103 aumentaram em partes da Finlândia, sul da Escandinávia e Ártico. Tais locais são os principais atingidos pela radiação. 

 

Zerbo disse que esses compostos, no entanto, não causam danos aos seres humanos, ainda que sejam subprodutos da fissão nuclear. Por enquanto, as agências que estão monitorando o caso não foram capazes de identificar uma fonte específica.