Notícias » Pré-História

Pinturas rupestres de 40 mil anos revolucionam compreensão sobre sociedade pré-histórica

Diferente das artes encontradas em cavernas da Europa, o estilo pode sugerir que os bascos tinham outras origens culturais

Isabela Barreiros Publicado em 11/03/2020, às 16h47

A pintura rupestre da Caverna Danbolinzulo
A pintura rupestre da Caverna Danbolinzulo - Divulgação/Blanca Ochoa/Universidade do País Basco

Novas artes rupestres encontradas em uma caverna no País Basco, localizado na Espanha, revelaram mais informações sobre a sociedade pré-histórica que viveu pela região. A Caverna Danbolinzulo, na cidade de Zesto, continha desenhos quase completamente desbotados, mas que mudaram a compreensão que pesquisadores tinham dessas pessoas.

A principal descoberta feita pelos cientistas foi que o estilo dessas pinturas era diferente do que normalmente era visto na Europa, na mesma época. Eles teriam o próprio estilo, nomeado de ibérico, em contraposição ao denominado francês ou continental.

Datando de 40.000 anos atrás, esses registros eram desconhecidos aos arqueólogos que investigavam a região. Antes desse achado, acreditava-se que havia pouca produção artística no País Basco, o que foi contestado após esse estudo.

Blanca Ochoa, pesquisadora da Universidade do País Basco, afirmou que as peculiaridades desse estilo de pintura podem demonstrar novos aspectos sobre a sociedade. "Achamos que talvez eles tenham origens culturais diferentes. Mas não sabemos por que eles escolheram ter dois estilos muito distintos”, explicou Ochoa.