Notícias » Ásia

Placa pedindo fim da monarquia desaparece após protestos na Tailândia

A peça foi concretada por manifestantes próxima ao palácio real de Maha Vajiralongkorn — monarca que já havia retirado placas a favor da democracia

Wallacy Ferrari Publicado em 21/09/2020, às 13h04

Foto da instalação da placa, no sábado, e após ser retirada na manhã de hoje
Foto da instalação da placa, no sábado, e após ser retirada na manhã de hoje - Divulgação/Twitter/KhaosodEnglish/19.09.2020 (esq.) /21.09.2020 (dir.)

Durante uma onda de protestos contra a monarquia que movimentou centenas de milhares de jovens nas ruas da Tailândia, uma placa metálica — de pintura dourada e com os dizeres de que a "Tailândia pertence ao povo, não ao rei" — foi instalada no campo histórico de Sanam Luang em meio a aplausos no domingo, 20, como um símbolo do protesto.

A praça, localizada próxima ao Grande Palácio, residência real na Tailândia, teve a pesada placa concretada ao chão, por onde ficou ao longo de quase 24 horas, pois, misteriosamente, o artefato sumiu na manhã desta segunda-feira, 21, quando fotojornalistas se reuniam para fazer um clique mais calmo do símbolo protestante.

A placa simbolizava um outro episódio na história tailandesa; em 2017, quando o rei Maha Vajiralongkorn assumiu o trono, uma placa celebrando o fim da monarquia totalitária na década de 1930, também desapareceu na calada da noite, posteriormente tendo o sumiço atribuído a oficiais que a retiraram a pedido do rei.

Mesmo com o buraco deixado no loca, os manifestantes tomaram as redes sociais tailandesas, compartilhando amplamente o emblema usado na placa redonda — tanto nas cores douradas como por trás de um arco-iris.