Notícias » Brasil

Polícia acredita que morte do menino encontrado em freezer foi acidental

Em janeiro, um jovem de 15 anos foi descoberto dentro do eletrodoméstico na casa de sua avó, no Mato Grosso do Sul

Fabio Previdelli Publicado em 10/03/2021, às 07h00

Fachada da casa onde o menino foi encontrado
Fachada da casa onde o menino foi encontrado - Divulgação

Em janeiro deste ano, o site Aventuras na História noticiou o caso de um menino de 15 anos que foi encontrado morto dentro de um freezer na casa de sua avó, que estava viajando. Até aquele momento, a situação revoltava os familiares, que sabiam o que teria motivado a morte do garoto.

Porém, conforme noticiado pelo UOL, a Polícia Civil de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, cidade onde o menino vivia, está dando os últimos passos para concluir a investigação sobre a morte do adolescente. Neste momento, a possibilidade de um assassinato está praticamente descartada. 

Segundo a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), a morte do garoto, que não teve sua identidade revelada, foi acidental. O jovem teria sofrido de um mal súbito quando estava dentro do eletrodoméstico.

De acordo com Elaine Belicasa, delegada responsável pelo caso, a principal tese é que o adolescente tenha entrado no freezer apenas para se refrescar, visto que o sol estava escaldante naquele domingo.  

"Latrocínio, homicídio ou suicídio foram praticamente descartados. A gente partiu para algo acidental. Analisando o caso, a gente percebeu que estava muito calor, há depoimentos de que ele [a vítima] sentia muito calor. E [acreditamos] que ele se banhava no quintal da avó", declarou Belicasa, em entrevista ao UOL. 

Apesar das investigações, a causa de sua morte é apontada como indeterminada, já que o corpo do garoto estava em estado avançado de decomposição — já havia passado mais de 24 horas quando o corpo do jovem foi encontrado dentro do freezer fechado. Assim, não há como determinar se ele sofreu um infarto, um derrame ou até mesmo tomou um choque dentro do aparelho. 

A tese do acidente é defendida pelo fato de um short da vítima e uma toalha terem sido encontradas próximo ao eletrodoméstico, o que sugere que ele entrou lá por vontade própria. A polícia acredita que ele tenha passado mal por algum motivo e, como a porta do freezer acabou fechando, o garoto não conseguiu escapar. 

"Na apreensão do freezer, a gente percebeu que ele estava com uma risca de água, quando a gente fica muito tempo dentro fica um risco, como foi encontrado na perícia. Foi encontrada água na borracha do freezer, e os pés e as mãos dele [do adolescente] estavam enrugados", explica a delegada.  

Apesar de não ser possível afirmar, os investigadores acreditam que o uso de anabolizantes foram determinantes para a morte do jovem. "Ele fazia uso de anabolizantes indiscriminadamente sem o conhecimento da família e isso pode ter sido fato determinante, mas não é possível saber", diz Elaine, que descobriu que o jovem usava esse tipo de composto depois de periciar o celular da vítima.  

Belicasa explica que faltam poucos laudos para serem entregues e acredita que o inquérito deva ser finalizado até o final do mês. “Uma tragédia, mas uma fatalidade”, disse sobre a morte do adolescente.  

Relembre o caso 

Na tarde de 11 de janeiro, uma segunda-feira, um adolescente de 15 anos foi encontrado morto dentro de um freezer horizontal na casa de sua avó, que está viajando. O episódio revoltou os familiares da vítima, que dizem não saber o que motivou o crime.  

O caso aconteceu na cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Um Boletim de Ocorrência foi registrado na Polícia Civil da cidade. O corpo do garoto foi encontrado por seu primo, que foi até a casa da avó por volta das 16h30.

Análises preliminares não encontraram quaisquer vestígios aparentes de violência no corpo do jovem. Porém, no imóvel, foi achado uma faca, um celular e um notebook.  

O primo do garoto disse ter ido até o local, que estava fechado, e chamado diversas vezes. Como ninguém respondeu, ele pulou o muro da casa e encontrou o freezer desligado na varanda da casa. O rapaz ainda informou que entre uma das frestas do refrigerador era possível ver um filete de sangue escorrendo.   

Assim, quando ele abriu a porta, viu o garoto lá dentro, sentado e seminu. Quando a Polícia Militar e o Serviço de Atendimento Móvel (Samu) chegaram, a morte do menino foi confirmada.   

A equipe que analisou o caso informou que viu várias cadeiras na varanda da casa, o que pode indicar que mais pessoas estiveram no local. Além disso, também foi encontrado uma mangueira perto do freezer, que pode ter sido usada na tentativa de eliminar vestígios de sangue.   

Uma câmera de segurança em uma casa vizinha foi investigada. Nela, em um primeiro momento, os investigadores notaram a movimentação de um jovem saindo do local e carregando uma mochila no domingo anterior ao crime, no dia 10. 

Logo em seguida, o mesmo rapaz parece retornar ao imóvel, de onde sai com outra mochila. Porém, desta vez, ele vai embora dentro de um veículo, que o buscou na porta da residência.