Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Crime

Polícia alemã dará €500 mil a quem souber paradeiro das joias do rei Augusto II

21 peças do século 18 colocadas pelo monarca no Castelo Real de Dresden foram roubadas em novembro de 2019

Wallacy Ferrari Publicado em 14/02/2022, às 08h24 - Atualizado às 08h51

Homem durante roubo no Castelo Real de Dresden - Divulgação / G1
Homem durante roubo no Castelo Real de Dresden - Divulgação / G1

A Polícia alemã está oferecendo a impressionante quantia de 500 milhões de euros para quem enviar pistas corretas sobre o paradeiro das 29 joias do Castelo Real de Dresden, na Alemanha, que foram roubadas em novembro de 2019 durante uma invasão ao local que abriga um museu. 

Apesar do valor histórico incalculável, o local tinha um seguro contratado em caso de perdas, avaliado em 113,8 milhões de euros (cerca de R$ 680 milhões na cotação atual), menos da metade do novo valor oferecido pelo achado dos artefatos. Mesmo sem encontrarem o paradeiro das peças, seis pessoas envolvidas no crime já foram identificadas, presas e colocadas em julgamento.

Tratam-se de alemães que compõem a máfia da família Remmo, que planeja cuidadosas ações criminosas e também atua no ramo do tráfico de drogas e prostituição em Berlim. Os membros que foram detidos não revelaram para quem as peças foram repassadas, mas podem pegar até 10 anos de prisão pelo assalto, como informou o portal G1.

As 21 peças que estavam expostas no museu faziam parte de um acervo de itens do rei Augusto II, apelidado de "O Forte", que foi príncipe da Saxônia e rei da Polônia entre os séculos 17 e 18 e colocou os itens no local em 1723, contando com diamantes e rubis.