Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Caso policial

Polícia encontra mulher enterrada no quintal de casa e marido confessa o crime

Vítima havia desaparecido há duas semanas e polícia fala como descobriu o crime

Redação Publicado em 13/07/2022, às 13h28

Imagem meramente ilustrativa - Pixabay
Imagem meramente ilustrativa - Pixabay

Na cidade de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, uma mulher foi encontrada enterrada no próprio quintal da casa onde morava, na terça-feira, 12. Cláudia Gonçalves de Moura, 51 anos, estava desparecida desde 4 de julho e o seu marido foi preso após confessar o crime.

Conforme a apuração do portal G1, José Carlos Martins Esperidião, marido da vítima, falou aos policiais que assassinou a sua esposa e ocultou o corpo no quintal, por não saber o que fazer.

De acordo com os agentes, ele foi detido pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Um dia antes da mulher se dada como desparecida, ela teve uma longa discussão por mensagens com o companheiro, indignada por não estar se sentindo bem após sofrer uma agressão na sua cabeça. Por isso, quando os familiares não tiveram mais contato, falaram para José que iam denunciá-lo, então ele entregou o celular dela para eles.

"Vou ter que fazer exame da minha cabeça para ver o que está pegando, se é sinusite ou se é alguma coisa na minha cabeça. Que depois que você deu a pancada na minha cabeça, na parede, ficou pior, entendeu? ", dizia a mensagem de Cláudia para marido.

Explicações dos peritos

Após o alarde feito pelos entes queridos em mais de uma semana de seu desaparecimento, os oficiais foram para a casa do casal.

Quando os agentes conseguiram realizar uma busca, encontraram o corpo de Cláudia esquartejado e enterrado no quintal.

Conforme falado em nota, Esperidião confirmou os indícios, detalhando que esfaqueou a companheira após uma discussão sobre um suposto relacionamento extraconjugal. Por fim, alegou que ela teria o ameaçado primeiro.