Notícias » Crimes

Polícia responde pai de JonBenét Ramsey após solicitação de novas análises

A pequena miss estadunidense foi cruelmente assassinada em 1996 aos 6 anos de idade

Wallacy Ferrari Publicado em 02/05/2022, às 14h40

JonBenét Ramsey em fotografia
JonBenét Ramsey em fotografia - Divulgação / Netflix

John Ramsey, o pai da garota JonBenét Ramsey, conhecida por seu misterioso assassinato internacionalmente repercutido no ano de 1996, novamente apelou para que o Departamento de Polícia de Boulder, onde o crime ocorreu, analise as amostras de DNA coletadas na cena do crime com novos aparatos tecnológicos, que poderiam clarear o caso.

O desejo de aproveitar de novos avanços nos aparelhos destinados a investigação criminal surgiu durante a CrimeCon, convenção para entusiastas sobre crimes norte-americanos, realizados em Las Vegas no último domingo, 1. Contudo, a resposta da companhia visou enaltecer que, sempre que disponibilizados, equipamentos são utilizados para buscar novas pistas.

O comunicado, repercutido parcialmente pela CBS News, esclareceu que o departamento esta "ciente do pedido recente", mas faz questão de enaltecer à comunidade local que "nunca desistiram das buscas" e de "trazer justiça a todos os afetados pelo assassinato" da pequena JonBenét, de apenas 6 anos na época. 

Desde 26 de dezembro de 1996, os detetives seguiram todas as pistas que chegaram ao departamento, incluindo mais de 21.016 dicas, cartas e e-mails e viajando para 19 estados para entrevistar ou falar com mais de 1.000 indivíduos em conexão com este crime”, esclareceram.

Relembre o caso

Em 25 de dezembro de 1996, a família Ramsey estava reunida comemorando o Natal na casa de amigos. A mãe da menina, Pattsy, acordou de sobressalto na madrugada e se deparou com um bilhete que havia sido deixado no final da escada. A carta era um pedido de resgate no valor de US$ 118 mil para a pequena voltar ao lar. Assim que percebeu o sumiço da filha, ligou desesperadamente para a polícia.

Naquele momento, passou a acreditar que JonBenét havia sido sequestrada. As autoridades chegaram rapidamente ao local e perceberam algo incomum para uma cena de crime; os familiares que chegaram no Natal, que inclusive poderiam contaminar o local e perder evidências. O valor cobrado também era bem específico: tratava-se da quantia que John Ramsey havia ganhado como bônus de final de ano.

A polícia começou a suspeita de alguém próximo da família ter arquitetado o plano brutal. No entanto, após oito horas de procura. John revistou a casa mais uma vez e encontrou o corpo da filha, com uma fita na boca e pulsos amarrados, no porão. Mesmo com diversos vestígios, a longeva investigação nunca conseguiu apontar um culpado.

+Saiba mais sobre o caso em reportagem clicando aqui