Notícias » Biologia

Polvo com tentáculo extra é descoberto em baía desativada pela Usina de Fukushima, no Japão

O bichano foi coletado por um morador local e quase serviu de refeição — mas seu membro a mais foi notado e levado para autoridades

Wallacy Ferrari Publicado em 08/12/2020, às 12h00

Polvo de nove pernas em mesa
Polvo de nove pernas em mesa - Divulgação

Um cultivador de algas descobriu uma condição curiosa em um polvo na baía de Shizugawa, em Minamisanriku, no Japão. De acordo com o jornal local Kyodo News, um rapaz, identificado como Kazuya Sato, capturou o animal com uma armadilha e levou para ser cozinhado pela mãe. Ao limpar, no entanto, ela descobriu que o bichano tinha um tentáculo a mais.

Apesar de já estar morto, o corpo ainda estava em excelentes condições, sendo direcionado para o Centro de Natureza de Shizugawa, onde a descoberta foi examinada. Apesar de ter sido encontrado em uma baía desativada após o colapso nuclear da Usina de Fukushima, o membro extra não tem relação com qualquer consequência radioativa.

O zoólogo de invertebrados Michael Vecchione, do Museu Nacional de História Natural Smithsonian, foi consultado pela Live Science e explicou que a regeneração dos tentáculos pode ter sido realizada de maneira errônea: "Se um tentáculo ficar danificado, este pode regenerar incorretamente; pode acabar com tecido extra crescendo, e esse tecido extra pode se transformar em um braço".

Após a coleta, o animal foi colocado em álcool e tem sua preservação estudada pelo instituto em que foi recebido, visando pesquisas científicas futuras e exposições públicas.