Notícias » Europa

Por 15 anos, atleta italiano pensou estar namorando supermodel brasileira

Durante esse período, Roberto Cazzaniga teria sofrido golpe de R$ 4,4 milhões

Fabio Previdelli Publicado em 25/11/2021, às 17h05

O atleta Roberto Cazzaniga em ação
O atleta Roberto Cazzaniga em ação - Getty Images

Na última terça-feira, 23, um programa de televisão italiano apresentou o caso do jogador de vôlei Roberto Cazzaniga que, por 15 anos, foi vítima de catfishing — um golpe virtual onde uma pessoa diz ser outra para enganar seus alvos emocionalmente. Em certos casos, como o de Roberto, há também o dolo financeiro

Cazzaniga, que atua por uma equipe da segunda divisão da liga de seu país, mas que já ganhou medalha com a seleção italiana, pensava manter uma relação virtual com a modelo brasileira Alessandra Ambrósio.

Conforme relata o atleta, em 2008, sua amiga, identificada como Manuela, teria lhe passado o contato de uma mulher chamada Maya

Ela, no entanto, dizia que aquele era apenas um pseudônimo, já que na realidade era uma das modelos mais famosas do mundo. 

Não, nós nunca nos conhecemos. Ela deu mil desculpas, como doença e trabalho. E ainda assim me apaixonei por aquela voz, uma chamada após a outra. Os contatos eram apenas pelo celular, quase que diariamente”, relatou ao Corriere della Sera. 

Ao longo de 15 anos de relação virtual, Roberto alega ter transferido cerca de 700 mil euros para Maya — o valor, em conversão atual, passa da casa dos R$ 4,4 milhões.

De acordo com a mídia local, a mulher começou a pedir dinheiro, em um primeiro momento, alegando que sua conta havia sido bloqueada em virtude de uma herança que ela teria que receber. 

Com o passar do tempo, as desculpas para não vê-lo se transformaram em dificuldades de tempo livre em sua agenda e até mesmo um grave problema cardíaco — motivo pelo qual Cazzaniga pediu dinheiro emprestado para amigos e familiares.

Descrito como ingênuo e introvertido, Roberto Cazzaniga só descobriu a verdade após seus familiares desconfiaram da relação. "Um dia ele estava no quarto, no escuro.

Eu o vejo chorar, pergunto o que ele tem e ele me diz que se apaixonou, mas essa mulher está na UTI para fazer uma operação cardíaca", diz Danilo, irmão da vítima. 

Conforme aponta o G1, três pessoas estão sendo investigadas por participar da extorsão: Manuela e seu namorado; além de é uma mulher identificada como Valeria, que tem 50 anos e vive na Sardenha. Ela é apontada como a responsável pelo catfishing.