Notícias » Arqueologia

Possível prego de cruz onde Jesus teria sido crucificado é encontrado na República Tcheca

A relíquia estava dentro de uma caixa escondida em um monastério

Ingredi Brunato Publicado em 21/12/2020, às 17h00

Fotografia do monastério onde o artefato foi encontrado
Fotografia do monastério onde o artefato foi encontrado - Wikimedia Commons

Dentro do mosteiro de Milevsko, em Boêmia, uma região da República Tcheca, arqueólogos encontraram recentemente um prego de quinze centímetros que teria pertencido à “Verdadeira Cruz”, isto é, a cruz onde Jesus Cristo foi sacrificado. 

Vale dizer que o prego estava decorado com uma pequena cruz de ouro do tipo 21 quilates. O prego raro foi revelado dentro de uma caixa de madeira decorada mais nova que ele, sendo datada do período entre 260 a 416. Ela estava guardada - ou escondida - dentro de uma reentrância na abóbada do mosteiro. 

A tampa da caixa também continha originalmente uma placa de ouro onde se liam as letras “IR”. Sobre a inscrição, o arqueólogo Jiří Šindelář, que esteve envolvido na descoberta, disse em entrevista à Agência Tcheca de Notícias que: “As letras podem ser entendidas neste contexto como uma abreviatura de Jesus Rex, que é o latim para ‘Jesus Rei’”.

Caso o artefato seja realmente o que a equipe de pesquisadores pensa que é (o que será verificado por análises futuras), seu valor histórico e cultural seria inestimável - algo que, segundo divulgado pelo Czech Radio, um veículo jornalístico tcheco, pode ser comparado ao relicário de São Mauro, outro item de caráter único encontrado na Boêmia. 

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.