Notícias » Paraguai

Povo vai às ruas no Paraguai pedindo pela libertação de Óscar Denis

O ex-vice-presidente do país foi sequestrado na última quarta-feira e a ideia do grupo rebelde é usá-lo como moeda de troca

Pamela Malva Publicado em 14/09/2020, às 16h00

Fotografia do ex-vice-presidente paraguaio Óscar Denis
Fotografia do ex-vice-presidente paraguaio Óscar Denis - Divulgação/Youtube

Na última quarta-feira, dia 09, o ex-vice-presidente do Paraguai Óscar Denis, de 74 anos, e seu funcionário Adelio Mendoza, de 21, foram sequestrados pelo Exército do Povo Paraguaio Marxista (EPP). Agora, familiares e admiradores exigem a libertação de ambos.

Durante a noite do domingo, 13, uma caravana de protestos tomou as ruas do país, pedindo pela soltura das duas vítimas, segundo a BBC. Os manifestantes ainda pedem pela libertação do fazendeiro Félix Urbieta, de 70 anos, e do policial Edelio Morínigo, sequestrados em outubro de 2016 e julho de 2014, respectivamente.

No caso do ex-vice-presidente, no entanto, o EPP tem planos mais elaborados. Fundado na década de 1990, o grupo rebelde deseja trocar o ex-político por Carmen Villalba e Alcides Oviedo, dois líderes do movimento que foram condenados pelo governo paraguaio no começo do ano pela tentativa de homicídio de três policiais em 2004.

Além da troca, cujo prazo estabelecido pelos rebeldes já expirou, o EPP ainda fez exigências para a família de Óscar Denis. Nesse sentido, eles pediram que US $ 2 milhões em alimentos fossem distribuídos para 40 comunidades diferentes. A família cumpriu com as exigências, mas, até agora, não teve quaisquer sinais do ex-vice-presidente.