Notícias » Pré-História

Como os pilares de Stonehenge foram transportados por 230 km? Nova pesquisa enfraquece antiga teoria

Segundo nova pesquisa, na verdade os pilares vieram de muito longe, e foram transportados de forma mais complicada

Mariana Ribas Publicado em 21/02/2019, às 12h00 - Atualizado às 13h54

Pilares de Stonehenge
Pixabay

Uma das construções mais famosas da história da arqueologia, o monumento megalítico de Stonehenge ainda deixa os pesquisadores em dúvida: Como os 80 blocos de pedra - que pesam duas toneladas cada - foram esculpidos e carregados por 230 quilômetros?

Os pilares foram construídos por volta de 3 000 a.C., e estão localizados em Salisbury, Reino Unido. Uma das teorias, defendida por diversos arqueólogos, é a de que o transporte dos pilares foi feito pelo mar. Mas, de acordo com novas escavações, as pedras que constituem os pilares são raras e foram encontradas no País de Gales, o que vai contra a antiga teoria. Na verdade, o transporte foi feito em terra firme.

Os especialistas acreditam que as pedras tenham sido buscadas tão longe porque elas eram especiais para os pré-históricos.

Segundo o líder da escavação, Mike Parker Pearson, professor da University College London: “Todos os outros monumentos neolíticos da Europa foram construídos com megalitos trazidos de distâncias não superiores a 16 km. Agora estamos procurando descobrir o que havia de tão especial nas colinas de Preseli há cinco mil anos, e se havia círculos de pedras importantes aqui, construídos antes que os arenitos fossem transferidos para Stonehenge".