Notícias » América do Sul

Prefeita governista é humilhada publicamente na Bolívia

Aos gritos de "assassina! assassina!", Arce Guzman teve seu cabelo cortado e pintado de vermelho enquanto era arrastada pelas ruas da cidade

Isabela Barreiros Publicado em 07/11/2019, às 18h32

Arce Guzman, prefeita de Vinto, na Bolívia durante o episódio
Arce Guzman, prefeita de Vinto, na Bolívia durante o episódio - Divulgação

A tensão causada pelas eleições presidenciais na Bolívia gerou consequências graves ontem, 6, durante conflito entre manifestantes pró e contra Evo Morales, presidente do país desde 2006. A prefeita governista da cidade de Vinto, Arce Guzman, foi humilhada publicamente pelas ruas.

Opositores ao governo de Morales arrastaram a política que estava com os pés descalços por inúmeros quarteirões, fizeram com que ela ajoelhasse, cortaram seus cabelos e pintaram sua cabeça com tinta vermelha.

Aos gritos de "assassina! assassina!", a mulher ainda foi obrigada a assinar uma “carta de demissão”. A polícia resgatou Guzman apenas algumas horas depois do ocorrido.

Durante a manifestação, que reuniu pessoas a favor e contra a permanência de Morales na presidência, um estudante de 20 anos identificado como Limbert Guzmán Vasquez foi morto. Ele teve o crânio fraturado que, segundo autoridades bolivianas, pode ter sido consequência de um dispositivo explosivo.

Desde a noite da eleição, a pressão por respostas tem aumentado no território latino-americano. A contagem de votos ficou parada durante 24 horas e, quando foi retomada, apresentou uma mudança de tendência, segundo a OEA (Organização dos Estados Americanos).