Notícias » Brasil

"Prejuízo", diz presidente da Liga-RJ sobre menina com perna amputada

Raquel Antunes da Silva, de 11 anos, morreu nesta sexta-feira, 22

Redação Publicado em 22/04/2022, às 08h49 - Atualizado às 13h26

Acidente em desfile de escola de samba deixa menina com perna amputada
Acidente em desfile de escola de samba deixa menina com perna amputada - Reprodução/ Canal TV Globo

Na última quinta-feira, 21, RaquelAntunesda Silva, uma jovem de apenas 11 anos, teve sua perna amputada após sofrer um acidente com um dos carros alegóricos na saída do “Sambódromo do Rio de Janeiro”, na noite que marcava a volta dos desfiles das escolas de samba no estado.

Na hora do impacto, a menina sofreu uma parada cardíaca e teve traumatismo no tórax.

No mesmo dia, o presidente da "Liga-RJ" (organização do evento que gerou o acidente) WallacePalhares, afirmou que a liga “não tem que dar suporte” para a família de Raquel.

“A Liga não tem que dar suporte à família porque ali é uma área fora do Sambódromo. O que acontece ali é cultural e precisa de polícia. O que ocorreu foi uma fatalidade, o que tem de ter é segurança. O carro já estava sendo rebocado quando tudo aconteceu, disse Palhares, que acrescentou: “Ali, eles entram para roubar tudo. Fui presidente da Acadêmicos do Sossego, e a gente tinha de catar tudo para não roubarem. Ontem (quarta-feira), a Cubango perdeu toda a iluminação. É um prejuízo de R$ 20 mil”.

O dirigente também questionou a informação divulgada pelo Corpo de Bombeiros, que falava sobre a elegibilidade dos carros do desfile não terem a autorização da corporação para passarem na avenida. Em nota, foi afirmado que apenas quatro escolas tinham solicitado a revisão necessária para poderem desfilar.

O veículo alegórico que atingiu a menina, era justamente um dos que não tinham ainda a autorização segundo o Corpo de Bombeiros, pertecente a escola de samba “Em cima da hora”.

Passo atrás com cautela

Após a publicação das notícias e propagação de suas falas, Palhares veio declarar para o jornal “EXTRA” que “o acidente foi uma fatalidade”, e que "a entidade está prestando todo o apoio para a família da criança, mesmo o acidente tendo acontecido em um espaço externo da Sapucaí".

O caso deve ganhar novos desdobramentos na semana que vem, quando terá o encerramento das investigações policiais, levando o caso para julgamentos tribunais. 

Morte da criança

De acordo com reportagem do g1, Raquel infelizmente não resistiu aos graves ferimentos, após ser atropelada por um abre-alas. A menina de 11 anos morreu na tarde desta sexta-feira, 22. Segundo funcionários do hospital Souza Aguiar, onde estava internada, a vítima sofreu uma hemorragia interna.