Notícias » Ásia

Presa de mamutes de 13 mil anos com desenhos de camelos são descobertas na Sibéria

Com traços de 0,15 milímetros, o desenho surpreende pela delicadeza e possui uma representação comunitária do período

Wallacy Ferrari Publicado em 11/07/2020, às 10h52

As presas coletadas na Sibéria
As presas coletadas na Sibéria - Yury Esin/F. Monna

Uma equipe de cientistas do Instituto de Língua, Literatura e História da República de Khakássia, localizada na Sibéria, localizaram uma das imagens mais antigas de camelos na Ásia, esculpidas em uma presa de mamute de 13 mil anos. De acordo com o estudo, publicado na Archaeological Research in Asia, a representação foi confeccionada durante o período Paleolítico Superior.

Com o comprimento de aproximadamente 1,5 metro, a presa foi descoberta durante uma escavação em 1988, mas nunca havia passado por processos digitais de escaneamento. A surpresa ocorreu no início deste mês, quando voltou a ser estudada, com a imagem de dois camelos lutando entre si.

Desenho encontrado no marfim do mamute é relacionado a outros encontros históricos / Crédito: Yury Esin

 

O principal autor do estudo, Yuri Esin, acredita que as figuras representam o começo de uma etapa vital no ciclo da comunidade humana e o início da temporada de acasalamento: “Uma análise comparativa das características estilísticas das figuras dos animais mostra que correspondem à idade da presa, o que as torna nas imagens mais antigas de camelos na Ásia".

Uma figura menor, representando um humano com vestimenta de pele de camelos, também foi localizada, indicando um antigo caçador. Os desenhos da superfície foram feitos com alguma ferramenta fina, que deixou linhas com cerca de 0,15 milímetros de profundidade. Pinturas de camelo semelhantes são vistas na caverna de Kapova, nos Montes Urais, e tem aproximadamente 19 mil anos.