Notícias » Brasil

'Preservar os direitos da Rayssa': Advogada registra o apelido 'Fadinha' como marca

Após acompanhar a vitória da maranhense, Flavia Penido decidiu registrar a marca e repassá-la para a família da nova medalhista

Pamela Malva Publicado em 27/07/2021, às 12h00

Fotografia de Rayssa Leal, a Fadinha
Fotografia de Rayssa Leal, a Fadinha - Getty Images

Na madrugada da última segunda-feira, 26, a pequena Rayssa Leal fez história ao tornar-se a mais jovem brasileira medalhista olímpica da história. No mesmo dia, o famoso apelido da garota, ‘Fadinha’, foi registrado pela advogada Flavia Penido.

Eu seu Twitter, a profissional paulistana narrou que, ao acompanhar a trajetória de Rayssa no skate olímpico, decidiu verificar “se havia pedido de registro da marca Fadinha para skates e correlatos”. Para sua surpresa, não existia qualquer registro.

Por conta disso, e por saber que disputas sobre marcas podem ser longas e custosas, tomei a liberdade de solicitar o registro da marca”, afirmou a advogada, ainda na rede social.

Especialista em propriedade intelectual, tecnologia e direito aplicado ao marketing, Flavia afirmou que não teve qualquer interesse econômico no registro, “mas sim em preservar eventuais direitos da Rayssa e também mostrar a importância de marketing e jurídico trabalharem sempre juntos”.

Dessa forma, a advogada deixou claro que, após registrar a marca ‘Fadinha’, irá ceder “gratuitamente, eventuais direitos que possa vir a ter, para Rayssa Leal (representada por seus pais) ou quem me for indicado”. Isso porque, com apenas 13 anos, a skatista, agora medalhista das Olimpíadas, ainda é representada legalmente por seus pais.

Por conta de sua iniciativa, Flavia passou a ser criticada nas redes sociais. Em resposta, a advogada agradeceu o apoio daqueles que partiram em sua defesa e afirmou que "em alguns momentos você tem que tomar atitude rápido. Alguns tomam, outros reclamam".