Notícias » Guerra

Presidente da França condecora o último sobrevivente da unidade francesa do Dia D

O veterano de 98 anos, Leon Gautier, recebeu uma das maiores honrarias da França na última sexta-feira, 18

Giovanna Gomes, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 19/06/2021, às 07h57

Macron e Leon Gautier durante a cerimônia
Macron e Leon Gautier durante a cerimônia - Divulgação/G1

Emmanuel Macron concedeu a Leon Gautier, último membro sobrevivente da unidade de comando francesa terrestre no Dia D, uma das maiores honras do país em cerimônia ocorrida na última sexta-feira, 18, em Paris. Segundo o G1, o veterano da Segunda Guerra Mundial atuou ao lado das tropas aliadas em 1944 para dar início à libertação da Europa.

Para celebrar o aniversário de um discurso do General Charles de Gaulle, que se deu em 18 de junho de 1940, Macron entregou medalhas a Gautier e outros militares. Na ocasião do discurso, o general convocou o povo francês a se rebelar contra a ocupação nazista.

Com seus 98 anos, o já idoso Gautier levantou-se de sua cadeira de rodas e ficou apoiado em duas bengalas. Neste momento, o atual presidente do país colocou a medalha em seu peito. Em seguida, utilizando máscara, beijou seu rosto duas vezes e o abraçou. Assim, o veterano foi nomeado Grande Oficial da Legião de Honra.

Conforme informou o G1, Gautier foi um dos 177 comandos da marinha francesa que escapou para o Reino Unido quando a os alemães invadiram a França. Depois, foi escolhido para ajudar a liderar os primeiros dias dos desembarques do Dia D na Normandia.

Sobre a Segunda Guerra 

Ocorrida entre 1939 e 1945, o segundo conflito militar se dividia entre Eixo (Alemanha, Itália e Japão) e Aliados (França, Inglaterra, EUA e URSS). Com batalhas sangrentas deixando de 70 a 85 milhões de mortos, a Segunda Guerra ficou marcada pelos horrores da Alemanha Nazista e dos campos de concentração, organizados pelo partido de Adolf Hitler.

Nomes como o de Winston Churchill, Franklin D. Roosevelt e Josef Stalin foram de grande importância para combater os regimes fascistas de Hitler e Benito Mussolini. Um dos capítulos mais sombrios e notórios do século 20 deixou marcas na humanidade que, até hoje, não foram totalmente resolvidas.