Notícias » Turcomenistão

Mais lidas: Presidente do Turcomenistão ordena que 'Porta do Inferno' seja fechada

A cratera de gás natural possui cerca de 70 metros de diâmetro e atrai a atenção de turistas

Redação Publicado em 11/01/2022, às 10h33 - Atualizado em 15/01/2022, às 07h00

Cratera conhecida como "Porta do Inferno"
Cratera conhecida como "Porta do Inferno" - Divulgação / vídeo / Youtube / National Geographic Brasil

Gurbanguly Berdymukhamedov, presidente do Turcomenistão, declarou no último sábado, 8, que pretende fechar uma famosa cratera de gás natural existente no país, a qual é popularmente conhecida como 'Porta do Inferno'.

Com 70 metros de diâmetro e chamas em seu interior, o local em meio ao deserto chama a atenção dos turistas.

"A cratera afeta negativamente o meio ambiente e a saúde das pessoas que vivem nas proximidades", disse o político durante pronunciamento televisionado.

Na ocasião, o presidente levantou questões ambientais e econômicas para justificar sua decisão e propôs ao governo que sejam buscadas maneiras seguras de apagar o fogo.

"Estamos perdendo recursos naturais valiosos, pelos quais poderíamos obter lucros significativos e usá-los para melhorar o bem-estar do nosso povo", declarou Berdymukhamedov, de acordo com o portal de notícias G1. A área da cratera possui grande quantidade de petróleo e gás natural.

O "incêndio" teve início no ano de 1971, depois que geólogos da antiga União Soviética perfuraram a região à procura de gás. Em razão de um erro de cálculo, o chão sob a plataforma acabou cedendo, dando origem ao imenso buraco.

Temendo que gases venenosos fossem liberados, os cientistas da época decidiram colocar fogo na cratera, imaginando que o gás iria queimar em pouco tempo. Contudo, mesmo após 50 anos, as chamas ainda não foram apagadas.