Notícias » Peru

Presidente peruano é investigado por tráfico de influência

Pedro Castillo assumiu o poder em julho de 2021

Redação Publicado em 05/01/2022, às 07h05

Pedro Castillo, o presidente peruano
Pedro Castillo, o presidente peruano - Getty Images

A promotoria peruana anunciou na última terça-feira, 4, que dará início a uma investigação contra o atual presidente do país, Pedro Castillo, ao final de seu mandato, em razão de supostos crimes de tráfico de influência, conluio e patrocínio ilegal.

"A promotora da Nação, Zoraida Avalos Rivera, abriu uma investigação preliminar contra o presidente da República, José Pedro Castillo Terrones, pela suposta prática de crimes contra a administração pública", informou o órgão em comunicado.

No Peru, o presidente tem "imunidade absoluta que transcende o campo processual penal". Assim, como o político assumiu o poder em julho do ano passado, o processo deverá ficar suspenso até 2026, data em que encerra seu mandato, conforme informou a AFP.

De acordo com a agência de notícias, as investigações contra o chefe de Estado se concentrarão em três casos. No primeiro deles, Castillo é acusado de ter "intervindo -indevida e indiretamente" no processo de licitação para a construção de uma ponte sobre o rio Huallaga, na região de San Martín, no norte do país.

No segundo, ele enfrenta a acusação de ter interferido no processo de aquisição de Biodiesel B100 no mercado local para o período de janeiro a abril de 2022, "com o propósito de que a empresa Heaven Petroleum Operator, liderada pelo empresário Samir Abudayeh, ganhasse um contrato no valor de US$ 74 milhões".

Já no terceiro, a promotoria investiga Castillo por suposta pressão indevida com o objetivo de promover militares ligados ao governo de esquerda. Desta forma, ele poderia ser acusado de "crimes de tráfico de influência e patrocínio ilegal".