Notícias » Hungria

Primeiro-ministro da Hungria fará referendo a respeito de lei contra a comunidade LGTBQIA+

A regra, que proíbe 'demonstração e promoção da homossexualidade’ para menores de idade, gera revolta; entenda!

Penélope Coelho Publicado em 22/07/2021, às 12h02

Viktor Orbán
Viktor Orbán - Getty Images

De acordo com informações publicadas na última quarta-feira, 21, pelo portal de notícias G1, o premiê da Hungria, Viktor Orbán, informou recentemente que fará um referendo para analisar o apoio da população a respeito da lei que se opõe à comunidade LGTBQIA+.

A norma refere-se à proibição de "demonstração e promoção da homossexualidade" para menores de 18 anos. Para especialistas, a lei faz uma associação entre a pedofilia e a homossexualidade e, além de causar revolta, também gera forte reação por parte da União Europeia.

Sabe-se que o recente anúncio do premiê acontece após a Comissão Europeia decidir dar uma advertência para o governo da Hungria, a fim de que a lei fosse retificada, caso contrário, o país irá enfrentar “consequências legais”, como informou a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen.

De acordo com a reportagem, na prática, a lei interfere em conteúdos educacionais sobre o tema, além disso, algumas séries de televisão e filmes também passarão por banimento.

Para o ministro de Relações Exteriores de Luxemburgo, Jean Asselborn, a regra húngara é considerada “indigna da Europa”. Por sua vez, Orbán, se defende alegando que a legislação foi mal interpretada.