Notícias » Rússia

Primeiro-ministro russo renuncia após proposta de Putin para permanecer no poder depois de 2024

O atual presidente da Rússia apresentou hoje, 15, um plano para alterar a constituição do país; Dmitry Medvedev renunciou poucas horas depois do discurso

Isabela Barreiros Publicado em 15/01/2020, às 14h54

O presidente russo, Vladimir Putin, discursando em Moscou hoje, 15
O presidente russo, Vladimir Putin, discursando em Moscou hoje, 15 - Getty Images

O premiê russo Dmitry Medvedev renunciou depois do presidente do país Vladimir Putin discursar a favor de reformas na constituição do país. O anúncio foi feito poucas horas depois de Putin apresentar novo plano que contribuiria para sua permanência no poder.

Em seu discurso, o líder russo afirmou que haveria uma votação a respeito de mudanças no poder após o final de seu mandato, em 2024. É uma tentativa de transferir o poder, que hoje está nas mãos do presidente, para o parlamento. Com isso, Putin poderia se candidatar a primeiro-ministro e ainda assim governar a Rússia.

 Segundo Medvedev , “essas mudanças, quando adotadas, introduzirão mudanças substanciais não apenas em toda uma gama de artigos da constituição, mas também em todo o equilíbrio de poder, poder do executivo, poder do legislativo, poder do judiciário”.

Hoje, o presidente pode cumprir apenas dois mandatos consecutivos, como é o caso de Putin. Ele já foi premiê do governo de Medvedev, sendo considerado o grande responsável pelas decisões políticas, mesmo que essa função fosse quase “figurativa” no país.

Com a proposta de transformar o cargo político em um “premiê empoderado”, é possível que o atual líder pudesse permanecer no poder, ainda que isso não tenha sido afirmado durante o discurso.