Notícias » Estados Unidos

Primeiros jurados que julgarão caso George Floyd são escolhidos

O ex-policial Derek Chauvin, um homem branco, é acusado de asfixiar até a morte o afro-americano George Floyd

Fabio Previdelli Publicado em 10/03/2021, às 10h32

Foto de Derek Chauvin, assassino de George Floyd
Foto de Derek Chauvin, assassino de George Floyd - Divulgação

O julgamento de Derek Chauvin, o ex-policial branco acusado de asfixiar até a morte o afro-americano George Floyd, começou ontem, 9. O dia foi marcado pela seleção dos 3 primeiros, entre os 12, jurados que avaliarão a culpa, ou não, de Chauvin

O ex-policial foi expulso da corporação após o caso. Agora, ele enfrenta duas acusações: a primeira por homicídio em segundo grau, que pode resultar em uma pena máxima de 40 anos; e a outra por homicídio culposo.  

A seleção do júri deveria ter sido iniciada na última segunda-feira, 8, mas acabou sendo adiada pois a promotoria queria adicionar uma terceira acusação, a por homicídio em terceiro grau, que poderia adicionar até 25 anos na pena.  

Apesar da corte de apelações não se pronunciar sobre isso, a seleção foi iniciada mesmo assim pelo juiz Peter Cahill. Assim, depois de várias horas de minuciosos interrogatórios, os três jurados foram selecionados. A tarefa não foi fácil, já que eles não podem ter uma postura definida sobre o caso. 

O primeiro escolhido foi um homem branco que tem entre 20 e 30 anos. Questionado se ele seria “justo e imparcial” no julgamento, respondeu que “sim”. Além disso, o que o ajudou a ser selecionado foi o fato de nunca ter visto o vídeo de Chauvinajoelhando sobre o pescoço de Floyd.  

A segunda selecionada foi uma jovem descrita com aparência birracial, que declarou estar “super entusiasmada” de fazer parte do corpo de jurados. Ela também disse que o fato de ser sobrinha de um policial não interferirá em seu julgamento.  

O último foi um homem branco, na casa dos 30 anos, que diz ser auditor financeiro. Ele diz, de “maneira geral”, apoiar o movimento Black Lives Matter, mas disse não ter uma posição definida sobre o caso. 

Outra candidata em potencial, uma mulher hispânica, foi descartada por fazer alusão a “injusta” morte de George. Além deles, vários outros jurados se mostraram preocupados com sua própria segurança. Porém, a identidade deles só serão reveladas após o julgamento.  

Outros três policiais envolvidos no caso: Alexander Kueng, Thomas LaneTou Thao, que também foram demitidos da polícia de Minneapolis, enfrentarão acusações menores e serão julgados em separado.