Notícias » Brasil

Professor estadual recebeu ordem de prisão por faixa que criticava o Governo estadual

Arquidones Bites Leão foi abordado por policiais militares depois que se recusou a tirar uma faixa em seu carro que dizia “Fora Bolsonaro Genocida”

Fabio Previdelli Publicado em 01/06/2021, às 12h04

Faixa em carro que causou a prisão de um professor
Faixa em carro que causou a prisão de um professor - Divulgação/Rede Globo

Na última segunda-feira, 31, um professor da rede pública estadual foi preso por se negar a tirar uma faixa de seu carro com os dizeres “Fora Bolsonaro Genocida”. Segundo o G1, Arquidones Bites Leão foi abordado por policiais militares em Trindade, Região Metropolitana de Goiânia. 

De acordo com seu irmão Arquivaldo, o professor, que também é secretário estadual do Partido dos Trabalhadores, foi liberado depois que prestou depoimento na sede da Polícia Federal de Goiânia. Imagens divulgadas pelo G1 mostram que os policiais disseram que Arquidones estava sendo enquadrado pela Lei de Segurança Nacional por caluniar o presidente.  

Depois de pedir para o professor retirar a faixa com a frase, os policiais citaram que ele estava sendo detido por desrespeitar o artigo 26 da Lei 7.170, que considera crime quem "caluniar ou difamar o presidente da República, o do Senado Federal, o da Câmara dos Deputados ou o do Supremo Tribunal Federal, imputando-lhes fato definido como crime ou fato ofensivo à reputação". 

O professor sendo abordados pelos policiais/ Crédito: G1

 

"Vou dar voz de prisão para o senhor. Está duvidando? Vamos ver então", disse o policial antes de dar ordem de prisão à Arquidones, que ajudou a organizar as manifestações em Goiânia contra o governo, segundo relata o G1.  

Segundo dados da Polícia Federal, no governo de Jair Bolsonaro, 85 inquéritos foram abertos para investigar casos relativos a Lei de Segurança Nacional. O número é superior aos 81 relatos anteriores relacionados aos 11 anos anteriores da gestão atual (2008 – 2018).