Notícias » Brasil

Projeto que compreende o lançamento do filme 'Marighella' é arquivado pela Ancine

Filme foi gravado em 2018 e chamou atenção da crítica internacional

Redação Publicado em 13/08/2021, às 20h50 - Atualizado às 20h56

Cena do filme Marighella
Cena do filme Marighella - Divulgação/ O2 Filmes

Os brasileiros que esperam pelo lançamento do filme Marighella, de Wagner Moura, que conta a história do revolucionário comunista, encontraram mais um obstáculo nesta sexta-feira, 13.

Conforme repercutido pelo portal de notícias UOL, a Agência Nacional do Cinema, acabou encaminhando o projeto que compreende o lançamento comercial do longa para arquivamento.

A Ancine justificou o ato em nota: “Procedemos ao cancelamento do projeto acima referenciado e encerramento do respectivo processo devido à desistência da proponente em prosseguir com o projeto na Chamada Pública”, repercute o Brasil de Fato.

Ao mesmo tempo, a produtora O2, responsável pelo filme, também se manifestou através de uma nota: “A O2 não confirma essa informação”.

O UOL procurou a Ancine, que respondeu que a obra cinematográfica "está em fase de contratação na chamada de Fluxo Continuo de Cinema para produção da obra". Esse passo acaba por impossibilitar a continuidade do projeto de comercialização. 

Assim, a Ancine relata que a opção de investimento em comercialização acaba não sendo discutida “já que a obrigação de apresentar a proposta ainda não existe”.

Ainda é relatado que a SM Distribuidora de Filmes foi abordada pela área técnica da Ancine e acabou sendo informada não só do retardo do lançamento comercial, mas também do ato de desistência da inscrição no ato que visa a comercialização do longa.

A distribuidora teria realizado a inscrição novamente no dia 23 de julho e a data do lançamento do longa teria previsão para 4 de novembro.

Sucesso internacional

Lançado internacionalmente, o longa biográfico alcançou uma pontuação de 88% no Rotten Tomatoes, site especializado de críticas. 

Marighella é um filme urgente em seu compromisso e intensidade cinematográfica, e dificilmente poderia ser mais oportuno”, relatou Jonathan Romney, do Screen International.