Notícias » Mundo

Propaganda da Adidas que apresenta seios nus é banida no Reino Unido

O anúncio foi criticado por sua 'nudez explícita', que foi vista de maneira negativa por muitos

Redação Publicado em 11/05/2022, às 15h37

Fotografia meramente ilustrativa de loja da Adidas
Fotografia meramente ilustrativa de loja da Adidas - Divulgação/ Pixabay/ sbl0323

No último mês de fevereiro, a marca Adidas publicou um anúncio em sua conta do Twitter que trazia uma montagem de nada menos que 25 pares de seios nus de diversos formatos, pertencendo a modelos de cores e idades diferentes.

Acreditamos que os seios das mulheres em todas as formas e tamanhos merecem apoio e conforto. É por isso que nossa nova linha de sutiãs esportivos contém 43 estilos, para que todos possam encontrar o ajuste certo para eles", dizia a legenda da postagem. 

A campanha publicitária foi alvo imediato de controvérsia, tanto pelo lado daqueles que se diziam preocupados com as crianças que poderiam visualizar a imagem, quanto por aqueles que acharam que a montagem objetificou e sexualizou mulheres ao reduzi-las aos seus seios, conforme repercutido pelo The Guardian. 

Houveram ainda usuários perguntaram de forma sarcástica se a próxima propaganda traria pênis em diferentes formatos para vender roupas íntimas masculinas. 

Impacto

Como consequência, a Advertising Standards Authority (ASA), que é o órgão regulatório de publicidade no Reino Unido, recebeu 24 reclamações formais a respeito da propaganda, e acabou decidindo por bani-la. 

“Observamos que os seios eram o foco principal dos anúncios, e havia menos ênfase nos sutiãs em si, que eram mencionados apenas no texto que os acompanhava. Como os anúncios continham nudez explícita, consideramos que eles exigiam uma segmentação cuidadosa para evitar ofender quem os visualizasse", afirmou a ASA em um comunicado também repercutido pelo The Guardian.

Vale mencionar, todavia, que nem todos viram a propaganda da Adidas de maneira negativa. 

“Eu não acredito que sexualize as mulheres – o anúncio é honesto, ao invés de estilizado ou posado com o propósito de excitação (...) Quanto à redução das mulheres a partes do corpo: é verdade que o peito de cada modelo é a única área exibida – mas não compro sutiã esportivo para usar no rosto”, declarou a jornalista Harriet Williamson em sua coluna de opinião do The Independent. 

Outros argumentos em defesa do anúncio incluíram o fato que ele normalizaria mamilos femininos. Em sua publicação do Instagram, todavia, a Adidas precisou editá-los para evitar a censura da rede social. A postagem do Twitter, por sua vez, precisou ser banida. 

Conforme repercutido pelo Universa, do UOL, a Adidas disse que as fotos não tinham como foco a nudez gratuita, além de ter o objetivo de celebrar corpos diversos. A marca de adereços esportivos também enfatizou que os rostos das modelos, que consentiram à publicação das imagens, não foram exibidos.