Notícias » Crimes

Provas contra alemão que teria sequestrado Madeleine McCann são “contundentes”

Segundo polícia portuguesa, que passou a considerar Christian Brueckner como suspeito, provas colhidas pelas autoridades alemãs são “muito importantes”

Fabio Previdelli Publicado em 15/06/2020, às 11h19

Foto de Madeleine McCann
Foto de Madeleine McCann - Divulgação

Após Christian Brueckner ser identificado como principal suspeito pelo desaparecimento de Madeleine McCann, que sumiu em maio de 2007, quando tinha quase 4 anos — quando passava as férias com a família na Praia da Luz, em Portugal —, as evidencias sobre o que aconteceu com a pequena começam a ficar cada vez mais claras.

Isso porque, segundo uma fonte ligada a polícia portuguesa confirmou à BBC, as provas colhidas pelas autoridades alemãs são cada vez mais “contundentes”. Essa informação teria sido passada por um funcionário do alto escalão que alegou ainda que a corporação está disposta a colaborar nesse novo ciclo de investigações.

Segundo a BBC, a fonte ouvida alega que as provas colhidas pelas autoridades alemãs são “muito importantes” e “contundentes”. Além do mais, outra fonte afirmou que a polícia portuguesa também passou a considerar Christian como suspeito.

De acordo como pessoas que o conheceram, Brueckner tinha um comportamento agressivo e pouco confiável. Além do mais, um antigo vizinho do investigado relatou que ele invadiu uma casa para morar ilegalmente, sem pagar o aluguel, e que Christian teria saqueado o local quando saiu de lá. Tudo isso teria acontecido apenas dois anos antes do desaparecimento de Madeleine McCann.